TESTEMUNHOS

 

BOM DIA, MEU JESUS!

Bom dia Meu Jesus
Pela Luz que nos ilumina
Pelo sol que nos aquece
Pelas Flores que enfeitam nossos campos, jardins e casas…
Pela Chuva, que rega nossos campos
Pela trovoada, que desperta as nascentes
Pelas estrelas, que enfeitam o céu e nos mostram as constelações
Pelas crianças, que são o nosso Futuro….
Por todo o “Homem”, para que ele seja exemplo
Para as gerações vindouras!...
Por todos os nossos formadores
Pelos nossos pais, filhos e netos!...
OBRIGADA SENHOR, por teu AMOR!....
ABBA PAI!

Laura Vaz
29.02.09

 

A  SAIA DA ROSINHA

A Rosinha é a menina mais pequenina deste Orfanato, tem 4 anos é muito carinhosa e gosta muito de miminhos, como pràticamente, todas as crianças….
A poucos dias, da minha chegada à Missão de São Roque, na altura da distribuição das tarefas diárias, pela Irmã Vitória às crianças, como é habitual ser feito, após o mata bichar, surge a Rosinha com uma saia axadrezado vermelho e elástico na cintura, mas com um grande rasgão, que não dava para remendar de modo algum, pois o tecido estava todo gasto, quase transparente…aí a Colaboradora Emília, deu-lhe um rasgão e inutilizou a saia da Rosinha, para ela, não pensar mais na mesma, pois não havia hipótese alguma, de fazer o quer que fosse àquela saia e só por isso, pois outras peças de vestuário têm sido alteradas, costuradas com tal perícia, que depois as crianças pensam tratar-se de outra peça de vestuário….mas a da Rosinha não tinha hipótese alguma, pois aquilo era tudo menos uma saia, já era um trapo….mas aquele trapo, para a Rosinha era a sua saia axadrezada, que ela muito amava… aí, a Rosinha chorou muito, pois a D. Emília, tinha destruído o seu “tesouro”, a sua saia axadrezada vermelha...
Depois de alguma conversa e miminhos a Rosinha lá aceitou, com a promessa, de que iria receber uma saia novinha, feita pela D. Emília…
A referida saia, surgiu dos restos de umas pernas de umas calças de ganga, que foram transformadas em calções e de uns restos, de umas outras, de uma azul mais claro….   que eu via a mesma, a transformar-se e aí, fiquei estupefacta, pois a saia estava linda, linda, digna de uma boutique de crianças
Aí eu pensei, como é bom ter o dom de saber transformar restos de tecidos, em peças de vestuário tão bonitas.
PARABÉNS Emília, a Rosinha vai ficar radiante com a saia, feita de restos de tecidos. Reparei também, que, já havia outras, terem sido transformadas em saias, completamente nova... Assim se faz do antigo, novo!
Com muito carinho, por todos quantos, ajudam estas crianças a serem mais felizes, por tão pouco!...

Laura Vaz
LMCD
Missão de São Roque/28-02-09

 

MULHER MOÇAMBICANA

Tu és a canção mais linda!...
O hino, mais precioso do planeta!...
Mulher sacrificada!....
MULHER MOÇAMBICANA!....
Empenhada, em cada tipo e trabalho!...
Dia por dia
Hora por Hora
Sem limite de trabalho!...
Sem descanso!
Com o bebé no colo!
Trouxa na cabeça
Enxada nas mãos
Amarrada de capulana e lenço na cabeça:
Assim dizemos!...
Mulher Moçambicana
A verdadeira, MULHER MOÇAMBICANA!...
A heroína da terra, a raiz
De todos os homens
E a riqueza da Pátria!...
Mulher Moçambicana
A palavra que nunca sai
Na ponta das nossas línguas!...
Expressada com carinho e amor!...

As verdadeiras palavras!...
Não surgem por acaso!...
Mas por necessidade!...
No momento necessário!...
Assim…. foi em especial!...
O Dia da Mulher Moçambicana!....

Pedro
07/04/2009

UMA FÉ ENCARNADA

Poema orante e espontâneo,
após a notícia triste acerca de algumas das crianças do Orfanato da Missão de S. Roque...

FÉ estás aí?
Fonte Extraordinária
Que nos impulsiona
Faço-a Eu,
oh meu Deus!
Forte Escudo
Contra as injustiças
Factos Externos
Que matam tanto ser
Feridos… Excluídos
Crianças sofredoras
Fortes Então…
Na saúde e na doença
Felizes Estão
E não se dão conta
Facilidade Encantadora
Esta, a do meu povo…
Felicidade Encontra
Em ti meu Senhor
Felizmente Entendo
Nada sou sem ti
Fonte Extraordinária…
FÉ… aí estás!

Moçambique – Outubro 2008
Irmã Vitória Maria Lameiras Monteiro

 

MISSIONÁRIA E MUITO JOVEM

A Márcia Silva, leiga missionária carmelita, testemunha:

Moçambique é maravilhoso!
Este povo transpira
o sabor de uma vida cheia de paz,
humildade e de pobreza...
Transpira cultura, magia, sabedoria
e uma riqueza que jamais acabará!
Esta terra, repleta de paixões, histórias e de tradições.

Chamo-me Márcia, tenho 20 anos. Sempre tive um sonho desde pequenina,
um sonho que aos 19 anos pude ver realizado.

Sonho e logo se fará vida!
E foi assim com a ajuda de Deus, nosso Pai e mediada pela Ordem dos Carmelitas Descalços, que consegui concretizar um desejo desde há muito sonhado, um sonho de poder dar um pouco de mim, um sonho de entrega, um sonho com cheiro e cultura diferente, um sonho de amor.
Este sonho levou-me a conhecer a Missão mais velha da Arquidiocese de Maputo, em Moçambique, com cerca de 117 anos: o Orfanato da Missão de S.Roque. Longe de tudo e de todos, mas bem perto da natureza, do ar puro e da paz. Esta paz composta por 37 crianças com uma grande força de viver, carentes de afectos e sentimentos, crianças de extrema pobreza e com muitas necessidades, órfãs e abandonadas, crianças especiais que nos ensinam a viver, a sorrir, a ser feliz. Ajudam-nos a procurar e lutar pela felicidade.
Confesso que foi uma experiência de vida, uma experiência muito gratificante, algo que nunca irei esquecer e que permanecerá no meu coração eternamente.
Aprendi muito mais do que ensinei. Aprendi a dar valor às coisas insignificantes do “nosso mundo” e a respeitar certas palavras, a sonhar, e com elas também aprendi que sonhar é a melhor coisa da vida.
Vivi sem ter as questões materialistas que nos são impostas logo que nascemos neste mundo europeu.
Sim, regressada, já sinto saudades de tudo: do cheiro, do calor, da alegria, da música, das minhas criancinhas, que eram, foram e são os meus filhos, amigos, e família. Uma família longe da minha, mas não menos família.
Uma experiência e uma missão que mais me marcaram até ao dia de hoje. O meu obrigado!

Márcia Silva